sábado, novembro 13, 2010

A libertação de Aung San Suu Kyi



Autoridades do governo de Mianmar libertaram neste sábado a líder oposicionista Aung San Suu Kyi, depois do fim do prazo de sete anos de sua prisão. A condenação à prisão domiciliar é a última de uma longa série de punições.

A libertação de uma das mais importantes presas políticas do mundo ocorreu uma semana depois de o governo realizar eleições – as primeiras em 20 anos no país – que foram vencidas pelo partido pró-militar e denunciadas pelos países do Ocidente como uma farsa. As autoridades impediram qualquer acompanhamento do pleito por parte da imprensa internacional.

Detida ou sob prisão domiciliar por mais de 15 dos últimos 21 anos, Suu Kyi, ganhadora do Prêmio Nobel da Paz em 1991, tornou-se um símbolo da resistência democrática pacífica para livrar o país do sudeste asiático de décadas de regime militar. Durante os últimos dias, centenas de pessoas se reuniram em frente à residência da "Dama", como ela é chamada por seus partidários, na cidade de Yangun – a maior do país. Neste sábado, três mil seguidores a aguardavam para celebrar sua libertação.

O filho mais novo de Suu Kyi, Kim Aris, de 33 anos, que vive no Reino Unido e não vê a mãe há 10 anos, obteve um visto das autoridades de Mianmar para revê-la. O marido de Suu, o acadêmico britânico Michael Aris, faleceu em 1999, vítima de um câncer. Na ocasião, o governo de Mianmar autorizou a visita da dissidente ao marido, mas Suu Kyi não aceitou por medo de ser impedida de voltar ao país.

Estima-se que Mianmar tenha cerca de 2 mil presos políticos.


Para assistir a libertação e primeira púbica de Suu Kyi nos últimos 15 anos: clique aqui.


Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/internacional/governo-liberta-a-lider-oposicionista
Postar um comentário

Postagens populares