quarta-feira, setembro 02, 2009


Da série: "Como a comida industrializada é feita" => BACON


O bacon é feito de carne de porco, mais precisamente da barriga do porco, que, nas fábricas onde o bacon é produzido, passa de uma máquina para outra numa linha de produção que parece não ter fim.
Primeiro, a barriga inteira é torrada em um container giratório, que faz com que a carne comece a desgrudar da pele.
De lá as barrigas de porco, seguem alinhadas em uma esteira que as leva até uma lâmina que elimina separa completamente a carne da pele.
A pele vai para um lado e a carne para outro.
A pele será processada até virar um tira-gosto, enquanto a carne segue para um cadeirão, onde ficará de molho para que se impregne de sal, de aroma, e de sabor.
O “sabor” é obtido através da adição de uma mistura (elementos químicos,artificiais e conservantes) na qual a carne ficará mergulhada por algum tempo.
Em seguida as barrigas de porco são encaminhadas para uma outra máquina que contém dezenas de agulhas que perfuram e injetam a carne com a já citada mistura de ingredientes que garantem o “sabor”.
Depois as barrigas são espetadas e penduradas em uma espécie de cabide de metal e enxaguádas com uma outra mistura acrescida de corantes que lhes garante o “gosto de churrasco” e o tom (cor) avermelhada.
O próximo passo é colocar as barrigas em um forno gigantesco, com temperatura baixa, por cerca de 5 horas, para que a carne seja cozida e o sabor se espalhe por toda a carne. Passadas as 5 horas, as barrigas de porco seguem para um freezer (choque térmico) e depois para uma geladeira, onde permanecerão por alguns dias.
A refrigeração da carne garante um aspecto mais firme e facilita o próximo passo na linha de produção: o processo de fatiar a carne, que começa com a padronização do tamanho das barrigas de porco, passa pela verificação de possíveis pedaços de metal (pedaços dos cabides de metal) presentes na carne, até chegar às máquinas que cortam as barrigas em diversas fatias de bacon.
As fatias caem em uma esteira que as leva para um forno, onde serão assadas e então levadas para a esteira de inspeção, onde funcionários da fábrica descartam os pedaços defeituosos, e encaminham os que estão aptos a serem consumidos para a esteira de contagem e embalagem.
Postar um comentário

Postagens populares