quarta-feira, maio 20, 2009


SAIBA COMO PROTEGER SEUS FILHOS NA INTERNET


Confira dicas de especialistas para evitar o contato de crianças com criminosos na internet.

PREVENÇÃO

LOCAL DE USO >> Ao invés de acessarem o computador em seus quartos com portas e janelas fechadas, é importante que crianças e pré-adolescentes usem o computador em uma área comum da casa, onde todos os que ali moram possam entrar e sair, para que seja possível monitorar o conteúdo acessado na internet.

DIALÓGO >> Conversar é fundamental. A simples proibição do acesso à internet não é aconselhável, já que a criança pode simplesmente ignorar sua proibição e começar a inventar desculpas para ir para casa de amigos, onde sabe que poderá acessar à internet, ou pior, começará a mentir sobre à visita à casa de amigos para ir à Lan Houses. É importante que eles compreendam que o inimigo não é você, mas sim os perigos que ele corre se não souber usar a internet e se previnir de armadilhas de pedófilos.

LIMITES >> É adequado controlar o tempo de utilização do computador e da internet e insistir na prioridade de outras atividades como deveres de casa, revisão da matéria dada e leitura.

HÁBITOS >> Os pais podem – e devem – conhecer os hábitos de navegação de seus filhos. Caso não saibam exatamente como descobrir o conteúdo acessado, vale a pena pedir a ajuda do próprio filho. Peça que ele lhe ensine a acessar e fazer certas coisas usando o computador. E aproveite para investigar as atividades dele. O tom de inquisição pode ficar de fora. Você pode perguntar “o que ele fez de bom na internet” hoje, e pedir que ele lhe mostre o site que acessou. Pergunte se ele tem um perfil no Orkut, ou se tem um blog ou um flog e peça pra vê-los. Mostre interesse, curiosidade pelas coisas dele. E depois quando tiver a chance: quando a criança estiver dormindo ou na escola verifique o site com calma e cuidado.

DADOS PESSOAIS >> Desconhecidos devem ser tratados com prudência na internet. Aconselhe seu filho a não fornecer informações pessoais a estranhos, ainda que essa pessoa afirme ter a idade do seu filho. Nome completo, telefone, endereço, escola onde estuda, informações sobre a rotina diária ou semanal da crianças ou de seus pais, etc, são informações que ajudam criminosos a planejarem diversas armadilhas.

REDES SOCIAIS >> Caso o seu filho tenha um perfil no Orkut, Facebook ou MySpace cheque o nível de exposição do perfil e às comunidades a que ele pertence. Comunidades que indicam escola e endereço das crianças são desaconselhadas, como por exemplo: “Eu estudo no colégio Marista” ou “Eu moro na Rua das flores”. Se o seu filho participa de comunidades que se encaixam nesse perfil, converse com ele, peça que ele saia da comunidade e explique o porquê. É importante que a criança compreenda os riscos que corre, caso contrário o ato de sair da comunidade será apenas um ato mecânico que logo será substituído por outro risco na internet.

CAMALEÃO >> Explicar que muitos pedófilos fingem ser crianças, usando perfis e contas de email com fotos e informações falsas, pode ajudar a criança a evitar aproximações suspeitas.

ENCONTROS >> Caso a criança queira conhecer algum amigo virtual, pergunte quem é a pessoa e peça que seu filho lhe conte como o conheceu e mostre as informações sobre este amigo virtual (fotos, telefone para contato, perfil, endereço, etc); deixe claro para o seu filho que você, ou algum outro adulto de confiança o acompanhará nos primeiros encontros que acontecerão em um lugar público (shopping, parque, boliche, cinema, teatro, show, etc)

WEBCAM >> Caso o computador fique no quarto de seus filhos: não instale uma webcam. Caso o computador fique na sala, ou qualquer outra área comum da casa, aconselhe seu filho a não usá-la com pessoas desconhecidas.

SUSPEITA

ISOLAMENTO >> Há razões para aprofundar o diálogo caso a criança fique tempo demais conectada e insista em fazê-lo com a porta fechada ou em áreas remotas da casa, preferindo ficar online do que interagir ou sair com a família.

OCULTAÇÃO >> Fique atento caso seu filho comece a fechar a tela do computador sempre que você ou outro adulto se aproximar.

PROVAS >> Caso o seu filho lhe conte, ou você suspeite, de algum agressor, pedófilo ou perfil falso na internet: pergunte a seu filho se ele salvou alguma conversa com o suspeito no MSN, ou bate-papo. Caso ele não tenha nada salvo, habilite o recurso do computador de salvar as conversas do MSN, ou em um bate-papo, em seguida, copie e cole as conversas em um documento do Word. Use a tecla “print screen” para copiar a tela do computador (ex: imagem da tela exibindo o perfil do Orkut do suspeito ou janela de conversa do MSN), salve o arquivo; salve o endereço do perfil, o endereço de email (contato MSN), guarde fotos, vídeos, ou qualquer outro arquivo que o indivíduo tenha enviado para o seu filho; não delete sms, ou registros telefônicos da bina de celulares, caso o indivíduo mantenha contato via telefone com seu filho. Detalhes como nome e endereço do chat, horário da conversa, apelido do suposto agressor também são de extrema importância.

DENÚNCIAS
Guarde todas as provas que você juntou em formato digital e impresso e denuncie:

(A denúncia pode ser anônima)

Via email:
escreva um email contando o seu caso em detalhes, anexe as provas em formato digital e envie para contato@safernet.org.br

Via website, acessando
http://www.denuncie.org.br/
ou


Via telefone: ligue para o disque-denuncias
Disk 100 (das 08:00 às 22:00) – a ligação é grátis.

Pessoalmente: dirija-se à delegacia mais próxima da sua casa com todas as provas impressas, ou entre em contato com o Ministério Público.
Fonte:
Postar um comentário

Postagens populares