terça-feira, abril 14, 2009

MULHER VIOLENTA E VIOLENTADA


Desde o nascimento a mulher já recebe adjetivos próprios e sempre os mesmos: fofinha, lindinha, cheirosa, mimosa, amorzinho de mamãe, chuchuquinha, nenenzinha. Enquanto o homem é: o homenzinho do papai, filhinho da mamãe, campeão e, não raro, os genitores estão sempre a esmagar seus bagos, com medo de que eles fujam. Dito assim, pode até parecer normal, mas ao se observar a gama de rituais e condutas pré- estabelecidas que aí estão implícitas, é possível compreender o alto índice de violência que perdura entre estes dois gêneros.

A regra geral é que as mães compram bonecas e estimulam as filhas a brincar de casinha, mãezinha da bonequinha e quando a boneca cai ela diz: “pegue a sua filhinha que caiu, coitada.”Já o varão, ganha logo umas bolas, uns carros, umas espadas justiceiras e outras coisas do tipo.

Caso alguém visite a fofinha sete anos depois: encontrará a fofinha no shopping, com batonzinho da Barbie ou da Xuxa com bolsa a tiracolo enquanto escolhe um superfluozinho qualquer; enquanto o camaradinha já se tornou aquela presença constante nos jogos de futebol com o paizão. E o tempo vai passando... Se a visita se estender aos seus quartos vai perceber que nenhum deles arrumou a cama ao levantar, e que a zelosa mãe já lavou as calcinhas da mocinha e as cuequinhas do machinho; se houver alguma manchinha a mãe nem sobre tortura dirá que é outra coisa senão a sujeira do lanche que ele comeu escondido no quarto, enquanto assistia televisão. A cama da princesinha está repleta de bichinhos de pelúcia cor de rosa - ignore o fato de que ela já digita rápido no Orkut, afinal, criança de mãe moderna, já cresce no computador para competir no mercado de trabalho.

São os tempos modernos, da mãe culpada, aquela mãe que trabalha para dividir o orçamento da casa para poder dar aos filhos aquilo que ela nunca teve. Ela não pára nem para pensar que teve uma infância simples, mas feliz, sem os exageros que hoje a sua culpa oferece aos filhos. Sim, culpa. Porque trabalha demais, mas deus sabe que é só para eles. Culpa, porque não pode fazer os deveres de casa com os filhos, então finge que não vê a sofreguidão da criatura na internet. Culpa, porque chega cansada e o sexo já não é o mesmo. Culpa, porque não encontra uma secretária para fazer limpeza nos quartos dos filhos, então ela mesma limpa, afinal deve isso a eles.

Já o marido moderno, que adora a mulher moderna que faz mágica com as despesas, pega o rebentozinho no sábado e cai no mundo. Já que ele não teve isso na infância ele quer mais é oferecer ao filho, sem se importar com a esposa que fica limpando a casa. Ora, se ele não ajudou quando era mandado pela uma mãe, não será agora que irá fazer porque “isso é coisa de mulher”. Mas então porque será que não se incomoda ao saber que a filha dele não faz? Porque a filha dele tem mais é que casar com um homem rico, para não ter que fazer os serviços da casa, é para isso que os pais trabalham tanto, não é?

E quem disse que passear com filho não dá ibope? Afinal, toda bela e boa garota quer um dia casar com um cara que passeie, cuide e dê atenção aos filhos e aquele coroa ali ó: faz exatamente isso. Sem falar que ele tem algo que lembra o pai dela. Aquele pai que trabalha muito e se sente culpado por não ter muito tempo pros filhos, e é por isso que ela, no fundo, sente uma raivazinha dele. E é por isso também que uma paqueradinha com aquele coroa não é nada mal. Não vai tirar pedaço... e bem que o filho dele é engraçadinho.

Ele chega em casa e a mulher ainda está com um lenço na cabeça, ele já limpou mesmo as vistas na rua, agora a fantasia já está garantida e vai ter sexo de qualquer jeito.

A mulher se sente culpada por estar feia até na hora que o dedicado pai chega do passeio com o filho. Que belo pai. Se a filha tivesse ajudado a limpar a casa, ela teria conseguido fazer tudo a tempo de se arrumar antes do marido chegar. Mas não seria ela quem estragaria o final de semana de sua princesa que já estudou tanto a semana inteira.

Puxa , eles nem limparam o sapato ao entrar, mas reclamar para que? Ela já está feia e ainda vai ficar chata? Ainda mais agora que o marido sai com os dois filhos todo o final de semana e já nem se incomoda tanto com o sexo. Ela tem mais é que agradecer a deus por ter um marido jovial, falante e feliz, o que mais ela poderia querer?

Puxa eles estão demorando... Ah! É que a filha foi dormir na casa do namorado e o filho está na noite. “Meu cavalo está solto, segurem suas éguas” - já dizia meu pai. E o marido? Ah, ele foi beber um pouco, todo saudoso, porque não está com os filhos. O que é natural, já que sempre foi tão dedicado e atencioso.

Hoje ele me agrediu. Mas quem mandou eu reclamar? Eu não reclamei quando era jovem e pra que diabos eu inventei de reclamar depois de velha? Vou fazer aquela lasanha que ele tanto gosta... o meu velho.

Núbia Dutra
Postar um comentário

Postagens populares